LGPD, conhece ela?Proteja-se.

(A Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais - LGPD, n° 13.709, de 14/08/2018, entrou em vigor para proteger direitos fundamentais de liberdade, da privacidade e livre formação da personalidade de cada indivíduo.

Prezado leitor,sabia que não é seguro passar número de documentos em grupos, ou redes sociais? Por isso, os bancos escondem parte do CPF do correntista em comprovantes de Pix por exemplo, melhor ainda se escondessem parte do nome também.

Não precisa ser especialista para perceber que na medida que trocam os trabalhos manuais,pelas facilidades digitais,com um clique postam pelo whatsapp ou outros meios digitais; nome completo,fotos e documentos de cidadãos para fins de cadastros ou a cumprir alguma demanda, principalmente em grupos corporativos.

 Talvez por falta de conhecimento, sem noção do perigo que espera do outro lado da tela, alguns dizem que não tem problemas, que o grupo é privado,importante compreender que quaisquer sistemas:

 (Whatsapp, Facebook, Instagram,App's e até a (IA - inteligência artificial), são robôs feitos por humanos, não o inverso. Menos arriscado, se a pessoa designada a responsabilidade de receber dados para os fins necessários, seja de confiança e não coloque em risco os dados das pessoas.

 Podemos dizer que o perigo não está na internet, nem nos robôs, está na mente de quem se utiliza destas ferramentas,(bem ou mal). Como sei sobre isso?

Teve um período que liderei um grupo corporativo com mais de dois mil pessoas, um técnico de TI programou um robô e me ensinou os comandos, eu quem respondia o chat através do robô.

 Ao longo da vida profissional, representei sociedades de serviços, e ao escrever este assunto, recordei que em uma das empresas, quando o nosso sistema apresentava problemas, o técnico(TI) acessava nosso computador remotamente e fazia o reparo.

Em silêncio eu observava o mouse a passear no sistema, e ficava a meditar que, toda a empresa estava vulnerável.Cheguei a conclusão do quanto é valioso um ser humano de boa conduta, que lida com às máquinas. 

Outra experiência negativa:

Completaram alguns anos que tive problemas com um cartão bancário, foi clonado e só descobri ao receber uma fatura,e os aplicativos ainda nem eram populares,completavam seis anos, e só a partir do smartphone e no sistema operacional iOS.   

Aparecia no extrato uma compra de passagem aérea internacional na Gol. Imediatamente fui a Delegacia, registrei boletim de ocorrência e segui às orientações; fiz reclamação junto a companhia aérea Gol. 

Tudo me foi restituído, mas deu muito trabalho solucionar porquê no período acontecia uma greve de bancários.A principal prova ao meu favor,foi que estava matriculada numa autoescola onde é obrigatório o aluno registrar presença com a digital,ficou comprovado que não me ausentei do país.

 Outrora, eu assistia notícias sobre este assunto e jamais passava em mente acontecer comigo, porque não fazia transações bancárias através do celular. 

Esta experiência ruim deixou lições do quanto precisamos ter cuidado com nossos dados, pois comércios praticamente empurram ao cidadão a instalar App's.

 Falta de conhecimento deixa qualquer indivíduo vulnerável.Foi divulgado nos principais meios de comunicação que milhares de Brasileiros foram prejudicados com o vazamento de dados no órgão Serasa. 

A primeira Vara Cível Federal determinou em setembro de 2023, que a Caixa Econômica Federal, o Governo Federal, o Dataprev e a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), pagassem indenização entre 2 mil até R$ 15 mil reais aos cidadãos vítimas desta imprudência.

Além da indenização individual, o Ministério Público Federal, pediu no processo, multa de R$ 200 milhões para o Serasa pelos danos causados a sociedade, ou até 10% de seu faturamento anual do último ano,ressaltando que vazamento nesta proporção expõe as vítimas de maneira ilegal. 

Segundo o Ministério Público Federal, as investigações indicaram que o Serasa teria comercializado o acesso indevido em listas de dados de consumidores na internet como;históricos de compras, endereços de e-mail, dados da Previdência Social, de renda, da Receita Federal e até de acesso a dados de cartões de crédito e débito. 

De acordo com a fonte,os consumidores podiam consultar indenizações da Serasa no site oficial do departamento de dados vazados e indenizações. 

Qual a sua opinião sobre isso? comente.


 Golpitas já usaram até o nome do Banco Central

 

IR 2024

 



Comentários