A Língua e a Religiosidade.

 Sim, o Livro sagrado adverte sobre a língua e a religiosidade: se alguém supõe ser religioso, deixando de refrear à língua, antes engana o próprio coração e a sua religião é vã- (Tiago 1:26).

Não é fácil calar em momentos de emoções frustrantes, como: calúnias, mentiras e coisas negativas que podem tirar o equilíbrio e entristecer. Porém; em alguns momentos o silêncio pode servir de respostas, observe o conselho sagrado: a palavra ao seu tempo, quão boa é. (Prov.15:23).

Quando lemos e praticamos a palavra de Deus, conseguimos usar uma arma mais poderosa do que o veneno da língua; o domínio próprio, que é um fruto do Espírito Santo. Este fruto capacita agir pela razão, fazer o correto, mesmo que a ocasião esteja propícia a fazer o contrário. 

Nos alerta contra distrações com sentimentalismos, ajuda superar emoções e a pensar antes de falar, ou antes de agir. Sem domínio próprio, uma pessoa pode até disfarçar, mas não todo o tempo, porque ninguém que esteja vazio das coisas de Deus, suporta provocações, sem reagir de acordo. 

Principalmente em momentos de estresses que estimulam a natureza terrena revidar agressivo na intenção de ferir o receptor; reações originadas do orgulho, da prepotência, enfim; do ego. 

Mediante conselhos magníficos do Livro da Vida,vale meditar em alguns versos que falam sobre o perigo de usar a língua indevidamenteSe praticarmos, conseguiremos poupar a nossa alma de aborrecimentos. 

No livro de(Gálatas-5:16 - 17),adverte que somente quem anda em Espírito consegue dominar a vontade da sua carne e preservar a fé, e não é fácil,pois a carne e o Espírito não trabalham em comum acordo,a vontade humana é totalmente contrária a vontade de Deus.  

O Espírito(raciocínio), nos leva a abençoar o nosso semelhante, em vez de amaldiçoar.Já, os desejos carnais, provocam atitudes impulsivas e aguçam sentimentos ruins, por exemplo; raiva e desejo de vingança.

  O que guarda a sua boca conserva a sua alma, mas quem muito abre os lábios a si mesmo se arruína. (Provérbios 13:3). Seis coisas o Senhor aborrece, e a sétima a sua alma abomina:

1- Olhos altivos;indica presunção, soberba, ou seja; pessoa que se sente superior a outra).2 língua mentirosa.3. Mãos que derramam sangue inocente.4.Coração que trama projetos iníquos(mal intencionados).5.Pés que se apressam a correr para o mal. 6- Testemunha falsa que profere mentiras. 7.E o que semeia contendas entre irmãos. (Prov 6:16-19).   

       Observe a abrangência de danos que este órgão tão pequeno pode provocar, se usada de maneira inadequada.Que a nossa língua seja instrumento transmissor do bem, não do veneno que mata através das palavras.

Quando ofende alguém, as maldições lançadas voltam para o emissor em algum momento, porque a palavra é semelhante uma faca de dois gumes.  

As vezes é inevitável ouvir o que não queremos; mas controlar o que sai dos nossos lábios é uma maneira de proteger o coração. 

Seria tão melhor se todos conseguissem refletir antes de falar tantas coisas ruins por aí. Que tal começar a usar mais os lábios para abençoar, em vez de amaldiçoar?

Agradecemos a sua visita.

 Leia mais sobre a língua felina  

Comentários