Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de janeiro 11, 2024

PARTE- 2- LCFHC- Inicio do desfecho.

No primeiro post , iniciamos esclarecimentos sobre o projeto Lcfhc.  Especulações e controvérsias a parte:para compreender os riscos desta categoria de negócios é necessário entender,que um projeto centralizado é controlado por apenas um, ou poucos indivíduos com domínio sobre o futuro do projeto. Como exemplo: instituições bancárias e companhias, por mais que sejam idôneas,ficam sujeitas a arbitrariedades do dono, ou acionistas.Significa que se decidirem descontinuar o projeto, podem encerrar as atividades,independente da aprovação dos usuários ou consumidores. Teria sido o que aconteceu com o projeto Lcfhc?Posso falar do que presenciei: Depois da eliminação da plataforma Lcfhc, quaisquer registros foram perdidos.Nenhum cadastrado conseguiu visualizar o seu escritório virtual com os cadastros que fizeram.    Achavam que mesmo com cadastros falsos, ficariam ricos?Pense:se é, ou fosse empresário(a),a iniciar a sua empresa, e descobrisse que candidatos a funcionários deram

PARTE 4- Final -LCFHC -Viagem a China!

Ainda querendo retribuir a paciência de líderes, o acionista Sul Coreano Mr. Sandy, fez convite a liderança nos projetos, para viagem à China. Com despesas pagas, desde passagens de ida e volta, estadia em hotel, alimentação, passeios, e principalmente o tour para conhecer a companhia Lcyxf, que chamavam de shopping das coisas. Neste dia, tinha me ausentado do grupo a resolver questões pessoais, e uma Sra. de nome Maura Pereira, do grupo brasileiro que aderiu muitos cadastros, veio contar que indicaram meu nome para a viagem,constatei ao acessar o grupo internacional. Quando Mr. Sandy, registrou lá no público, que seria eu quem viajaria pelo grupo brasileiro, se iniciou nova confusão. A notícia rapidamente chegou aos supostos líderes que haviam abandonado suas equipes, voltaram e enchiam a minha caixa de mensagens de ameaças. Diziam que eles quem mereciam a tal viagem. Chegaram a mentir ao acionista, que eu não poderia viajar para a China, sendo embaixadora do Brasil no projeto, por n

PARTE-1 - A VERDADE sobre a LCFHC?

Fraude, ou mais um projeto que não deu certo ? A minha trajetória neste projeto, começou assim: no ano 2016,devido uma perda, sofri um infarto que provocou derrame pleural. Foram momentos muito difíceis, quando até respirar doía e quase fui a óbito. Exercitei a fé no Autor da vida, e por sua rica misericórdia, tudo foi restaurado.  Mas, a situação me levou a reflexão sobre o real sentido da vida .  O problema não é morrer, afinal; o fim da jornada terrena chega a qualquer ser vivente, semelhante gerações que já se foram. A questão que poucos se atentam, é; desta terra não levamos nem o corpo, pois este apodrece e volta ao pó. Mas, a Alma não morre , e é o único tesouro que vai conosco. Então, me questionava para qual eternidade seguiria a minha se morresse naquele momento,(descanso ou tormento)?   Talvez o leitor questione:o que tem esta situação pessoal que enfrentei, com a tal moeda Lcfhc ?   Bem. durante o período que me recuperava fomos convidados para uma palestra no hotel Regin

PARTE -3-LCFHC -Bitcoins doados aos líderes!

Para não deixar milhares de pessoas do grupo A12 a deriva: naquele intervalo de espera por respostas sobre a Lcfhc; um grupo de investidores Sul Coreanos, apresentaram uma alternativa ao Sr. Sandy. Iniciaram a parceria doando ao grupo, trinta Bitcoins, e não eram frações, eram bitcoins inteiros, mostraram em vídeos. No período, mesmo com oscilações no preço, um Bitcoin já custava mais de vinte e cinco mil reais. Sr. Sandy resolveu doar um Bitcoin a cada líder principal de país, que permaneceram no grupo.   A ideia inicial, era que líderes doassem frações de bitcoins aos seus downlines, e estes deveriam alcançar as pessoas que cadastraram. Com esta notícia,de repente os tops que tinham abandonado suas equipes, voltaram e mudaram o discurso! Após receberem o Bitcoin,deveriam ensinar às pessoas a fazer trade das fracões nas plataformas de negociações, para elas obterem lucro. Muitos não demonstravam interesse em aprender, apenas repetiam cobranças das moedas que seus líderes lhes prome