Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de janeiro 4, 2023

Golpe do dinheiro esquecido.

  Até a postagem deste artigo, constatamos que páginas falsas propagam-se porque ainda não existe um órgão central ou autoridade única, que possa ser acionada sobre este tipo de problema.   Mas, o internauta que identificar um site de phising, precisa denunciar, mesmo que seu esforço não tenha um alcance universal na internet ainda. U ma das ferramentas para denunciar sites falsos foi criada pelo Google, C onseguem remover endereços suspeitos.   Foi divulgado que autoridades brasileiras ainda enfrentavam dificuldades para tirar páginas falsas do ar, especialmente quando estas estão registradas no exterior.  Com tanta burocracia e diplomacia, infelizmente criminosos ganham tempo para aumentar o número de vítimas. Para agilizar o processo,uma alternativa dos profissionais da área de TI (Tecnologia da Informação), seria apresentar evidências da fraude para as empresas responsáveis pela hospedagem e pelo domínio falso .  Para endereços terminados com: ponto com,ponto br, é possível solicit

Criminosos usaram até o nome do Banco Central para aplicar golpes.

  Foi divulgado nos meios de comunicação, que golpistas criaram sites falsos usando o nome do BC(Banco Central) para atrair internautas em busca de dinheiro esquecido. Primeiro sinal de que é golpe:   Ao inserir qualquer nome e dados fictícios, respondem que existe um valor para saque via PIX" — o que é impossível. Os golpistas também promovem saques instantâneos, através de mensagens pelo WhatsApp e outras redes sociais. Direcionam para uma próxima etapa mesmo colocando dados incorretos e até sem preencher totalmente o formulário.  A página informa que identificou um saldo a receber e dá um suposto valor alto, em testes, falaram valores de quase R$ 4 mil reais. Prometem envio do dinheiro através do PIX, mas diz que a vítima deve compartilhar o link com contatos no WhatsApp para concluir o processo, na intenção de alcançar o maior número de pessoas.  Mostram até uma relação falsa de quantas pessoas teriam recebido o benefício e uma área que simula comentários do Facebook para dar